Charli XCX é uma das artistas pop mais comentadas da atualidade. Com mais de 6,4 milhões de ouvintes mensais no Spotify, a britânica lançou recentemente o seu quarto álbum, intitulado Crash. Com um total de 14 faixas, o novo trabalho da cantora apresenta colaborações com inúmeros artistas, como Christine and The Queens, Sky Ferreira, Dijon, entre outros.

Entretanto, a crítica especializada parece estar dividida em relação ao novo projeto de Charli XCX. Algumas publicações elogiaram a atmosfera nostálgica e os elementos mais experimentais presentes em Crash, enquanto outras inundaram o álbum com críticas negativas.

De acordo com o site Pitchfork, Crash parece ser uma coleção de músicas de clube que se fundem em uma única batida monótona. Segundo a crítica, a falta de variabilidade na seleção de instrumentos acaba tornando o álbum repetitivo e, por vezes, desinteressante. A revista NME, por outro lado, teceu elogios à produção da artista, dizendo que Charli XCX criou um álbum moderno para a geração millennial, sem perder a sua identidade pop.

Além disso, a colaboração com os artistas Dijon e A. G. Cook foi bastante elogiada pela crítica. A faixa Anthems é uma das mais comentadas do álbum, com elementos que lembram o surgimento da música pop eletrônica nos anos 80. Já as músicas Good Ones e I Want To Hear It foram consideradas os destaques do álbum.

Em conclusão, Crash é um álbum que parece estar dividindo as opiniões da crítica especializada. Enquanto alguns veículos de comunicação especializados elogiam a produção e a abordagem nostálgica da artista, outros a criticaram pela falta de variabilidade e originalidade. No entanto, a colaboração de Charli XCX com outros artistas, como Dijon e A. G. Cook, agregou bastante ao álbum e é considerada pelos críticos um dos pontos altos da produção.